ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA – NUTRIÇÃO: A REFEIÇÃO EM FAMÍLIA ESTÁ RELACIONADA COM A SAÚDE NUTRICIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, CRIANDO HÁBITOS SAUDÁVEIS, DISCIPLINANDO E PROMOVENDO A CONFRATERNIZAÇÃO. AJUDA A EVITAR HÁBITOS QUE PODERÃO COMPROMETER A QUALIDADE DE VIDA, INCLUINDO PROBLEMAS DE EXCESSO DE PESO, OBESIDADE E TRANSTORNOS ALIMENTARES.

As refeições familiares podem agir como fator de proteção para muitos problemas nutricionais relacionada à saúde na infância e adolescência, incluindo problemas de excesso de peso, obesidade e transtornos alimentares. Estudos mostram que crianças e adolescentes que comem com seus pais pelos menos três vezes por semana têm 12% menos chances de ficarem acima do peso. Além disso, 20% deles comem menos comidas consideradas não saudáveis como fast food, 35% têm menos probabilidades de apresentarem problemas com relação à alimentação, como pular refeições ou comer excessivamente, e 24% comem mais verduras, hortaliças e outros alimentos saudáveis. Este velho hábito de se sentar á mesa para realizar as refeições está cada vez mais sendo esquecido com o passar dos anos. Atualmente com a correria do dia a dia cada integrante da família almoça e janta em horários diferentes, e com o passar do tempo, os filhos adquirem hábitos não saudáveis. Enfim, eles acabam almoçando na frente da TV, do computador e nem percebem o que estão comendo naquele momento, acabam ganhando um aumento de peso, sobrepeso, obesidade infanto juvenil e adolescente além dos quilos extras que podem afetar a autoestima e causar problemas de saúde, como doenças do coração e diabetes mellitus tipo 2. As refeições em família estão ligadas a uma melhor nutrição, as famílias acabam escolhendo alimentos mais saudáveis e menos calóricos. Há um maior consumo de verduras, legumes e frutas, conseqüentemente menos deficiência nutricional. Mas, o que todos deveriam saber é que o hábito de fazer as refeições em família traz benefícios tanto para a saúde física quanto mental. Uma pesquisa realizada pelo governo do Reino Unido constatou que crianças que realizam regularmente as refeições com seus pais têm o dobro de chance de tirar notas boas no colégio. Pena que esse é um hábito que está saindo cada vez mais do ritmo de vida dos brasileiros. Já que uma refeição em família faz estimular a união, o diálogo e a cumplicidade entre pais e seus filhos e conseqüentemente aumenta a qualidade da alimentação. 
 AUTORES PROSPECTIVOS 
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM:28930 
Silene Martinez
Nutricionista
CRN: 32011/P 
Como Saber Mais:
1. Hábito de fazer as refeições em família traz benefícios para a saúde física…
http://aterosclerose.blogspot.com 
2. As refeições em família estão ligadas a uma melhor nutrição…
http://nutricaocontrolada.blogspot.com 
3. Crianças que não comem junto com a família tem mais chances de serem obesos… 
http://esteatosehepatica.blogspot.com 
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.
Referências Bibliográficas:
Amber J. Hammons; Barbara H. Fiese. Is Frequency of Shared Family Meals Related to the Nutritional Health of Children and Adolescents? Pediatrics Volume 127, Number 6, June 2011. Published online May 2, 2011; DOI: 10.1542/peds. 2010-1440. 
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em OBESIDADE

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: OBESIDADE INFANTO JUVENIL – RESPOSTA DAS CATECOLAMINAS [(HORMÔNIOS PRODUZIDOS NO CÓRTEX DA SUPRA-RENAL(GLANDULAS) ADRENALINA, NORADRENALINA, EPINEFRINA, NOREFINEFRINA, ETC)] AO EXERCÍCIO EFETUADO NOS ADOLESCENTES MAGROS, COM SOBREPESO E OBESOS.

Foi analisado o efeito da porcentagem de gordura corporal sobre a resposta de catecolaminas (hormônios produzidos no córtex da supra-renal) plasmáticas em exercício efetuado com bicicleta ergométrica em meninos adolescentes sedentários.
Nesta analise, 31 adolescentes do sexo masculino sendo 9 obesos, 11 com sobrepeso e 11 magros para o consumo máximo de oxigênio, o exercício completo foi composto por 6 repetições de bicicleta ergométrica com intervalos máximos de 2 min. de repouso passivo entre cada repetição. O desempenho de cada indivíduo foi determinado como a potência média, desenvolvido durante a o teste com bicicleta ergométrica. As concentrações plasmáticas de lactato, epinefrina e norepinefrina (catecolaminas) foram determinadas, sucessivamente em repouso, depois de 10 min. de aquecimento, imediatamente após o exercício com bicicleta ergométrica, e após 20 min. de recuperação passiva.
Embora os grupos não diferiram em idade, altura, ou o consumo máximo de oxigênio, a concentração de adrenalina máxima foi significativamente maior em obesos versus magros e foi negativamente correlacionada com percentual de gordura corporal. Os valores máximos de norepinefrina foram maiores nos magros e sobrepeso versus obesos, e uma relação negativa foi encontrada entre a concentração de norepinefrina máxima e o percentual de gordura corporal. A máxima concentração de lactato foi maior nos obesos, respectivamente, magros, sobrepeso e obesos. Uma relação significativa também foi obtida entre norepinefrina máxima e valores máximos de adrenalina tanto com concentração máxima de lactato. As análises mostram que, a resposta de catecolaminas para um exercício efetuado com bicicleta, foi afetada pelo percentual de gordura corporal, com redução de adrenalina e noradrenalina nos valores dos adolescentes obesos e com sobrepeso.
AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM:28930
Como Saber Mais:
1.O desempenho de cada indivíduo foi determinado como a potência média, desenvolvido durante a o teste com bicicleta ergométrica? 
http://obesidadecontrolada3.blogspot.com 
2.A concentração de adrenalina máxima foi significativamente maior em obesos versus magros e foi negativamente correlacionada com percentual de gordura corporal?
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com 
3.Os valores máximos de norepinefrina foram maiores nos magros e sobrepeso versus obesos, e uma relação negativa foi encontrada entre a concentração de norepinefrina máxima e o percentual de gordura corporal? 
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA. 
Referências Bibliográficas
Georges Jabbour; Sophie Lemoine-Morel; Gretchen A. Casazza; Hala Youssef;
Zouhal Hassane; Elie Moussa 2011, 43 (3) :408-415. © 2011 American College of Sports Medicine.
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em OBESIDADE

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: OBESIDADE INFANTO JUVENIL – MENINAS PODEM ANTECIPAR SUA MENARCA (1ª MENSTRUAÇÃO) QUANDO APRESENTAM SOBREPESO OU OBESAS (SOBREPESO, OBESIDADE, OBESIDADE ABDOMINAL, INTRA-ABDOMINAL, CENTRAL, VISCERAL).

Meninas com sobrepeso ou obesas podem ter sua 1ª menstruação – menarca antecipada, comparando-se com outras meninas de mesma idade, mas com peso normal. Não é nenhuma novidade que a idade da menarca vem se antecipando, mas especialistas temem que a atual epidemia de obesidade, pode aumentar essa tendência.
O início precoce da menstruação está ligado a vários problemas de saúde mais tarde, como câncer de mama. As meninas que começam a menstruar mais cedo também são mais propensas a antecipar sua vida sexual antes da maioria das outras meninas da mesma faixa etária, com aumento do risco de gravidez na adolescência e doenças sexualmente transmissíveis. Cerca de 17% das adolescentes são obesas, sobrepeso, obesidade, obesidade abdominal, visceral, intra-abdominal e central de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention. Foram analisados índices de massa corporal (IMC) e idade da 1ª menstruação, de cerca de 3.200 meninas nascidas entre 1984 e 1987. Em média, as meninas tiveram sua 1ª menstruação logo após completarem 13 anos de idade, que é cerca de meio ano mais tarde do que normalmente ocorre em países onde a população é miscigenada, isto porque as meninas afro descendentes tendem a ter sua 1ª menstruação antes das meninas caucasianas. O mesmo é observado também no Brasil e eu faria uma observação mais contundente, pois na prática, a situação é que, a menarca está ocorrendo mais precocemente em média no mundo todo no século 21. Alguns trabalhos citam que no começo do século 20 a 1ª menstruação ocorria por volta dos 15 anos; já na década de 50 a 1ª menstruação ocorria aproximadamente em torno dos 12 a 14 anos de idade, entretanto, não é raro, atualmente, observarmos a 1ª menstruação em torno de 9 a 11 anos de idade, o que não invalida as observações anteriores. Muito provavelmente a preocupação dos pesquisadores e dos clínicos está se confirmando; o índice de obesidade infanto-juvenil e adolescente já é uma epidemia no mundo. Em média, a menarca veio 25 dias antes para cada ponto de IMC acima da média. As meninas com sobrepeso e obesas (sobrepeso, obesidade, obesidade abdominal, intra-abdominal, central, visceral), por exemplo, têm sua 1ª menstruação, de 3 a 5 meses antes das meninas com peso normal. Pesquisas anteriores já mostraram uma ligação entre o IMC e o aparecimento da 1ª menstruação. Como este estudo é recente, ele mostra a ligação persistente na geração de hoje. Ainda observou-se a inter-relação entre o peso da mãe de uma menina com o período em que a filha teve a menarca, mas com frequência mais curto do que o observado em trabalhos anteriores. Para cada ponto de IMC que a mãe aumentou na fase pré-gestacional, a menarca da filha se antecipou em cerca de 1 semana. 
AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM:28930
COMO SABER MAIS: 
1.Na menina, o sobrepeso ou a obesidade pode antecipar a menarca?
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com/
2.A menarca precoce pode trazer alterações para a saúde mais tarde?
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com/
3.O aumento de peso pré-gestacional da mãe pode interferir na menarca da filha?
http://imceobesidade.blogspot.com/ 
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.
 
Referências Bibliográficas: 
Dr. Sarah Keim, um pesquisadora da Ohio State University College of Medicine, em Colombo-USA;
Center for Disease Control and Prevention;
Anshu Silva, estudante de graduação na Universidade da Califórnia, Los Angeles School of Public Health Fertility and Sterility. 
Contato:
Fones:   55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel:  55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Häägen Brazil
http://www.vanderhaagenbrazil.com.br/
http://www.clinicavanderhaagen.com.br/
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em OBESIDADE

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA : IMPACTO DO SOBREPESO (OBESIDADE, OBESIDADE ABDOMINAL, OBESIDADE CENTRAL, OBESIDADE VISCERAL, DIFICULDADE DE PERDER PESO) NA QUALIDADE DE VIDA NA INFÂNCIA AINDA É LIMITADO, EMBORA TENHAMOS CONSCIÊNCIA DA DISCRIMINAÇÃO QUE A CRIANÇA É SUBMETIDA POR SEUS COLEGUINHAS.

Ainda é limitado o conhecimento do impacto do sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso) na qualidade de vida na infância. Uma razão para isto é, que a pesquisa da qualidade de vida na infância tem sido negligenciada. Além disso, as taxas de prevalência marcante do sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso), são parte de uma tendência que não recebeu muita atenção até a década passada. No entanto a qualidade de vida é de particular interesse em jovens com sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso), tanto que em idades mais jovens, os prejuízos psicossociais são mais freqüentes do que doenças que acompanham o sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso). Portanto uma avaliação criteriosa do prejuízo global associada com sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso), é especialmente importante nesta faixa etária, mas temos plena consciência que crianças são implacáveis, ao conviver com seus coleguinhas, e não perdoaram, nenhum detalhe que saia da média do grupo.
 
AUTORES PROSPECTIVOS 
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM:28930
COMO SABER MAIS:
1. Quais deficiências específicas estão associadas com sobrepeso (obesidade, obesidade abdominal, obesidade central, obesidade visceral, dificuldade de perder peso) neste grupo de tratamento ?
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com


2. Como é que o tratamento das crianças influencia na qualidade de vida das mesma ?
http://obesidadeinfantojuvenil2.blogspot.com


3. Crianças PIG – pequena para idade gestacional, terão problemas no futuro ?
http://crescimentojuvenil.blogspot.com
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
De BMC Public Health
Nora Wille; Michael Erhart; Christiane Petersen; Ulrike Ravens-Sieberer
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.
Contato:
Fones:55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel:55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em OBESIDADE

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: OBESIDADE INFANTIL PREDISPÕE À INSULINA NÃO PERFEITA, DIABETES TIPO2 E RESISTÊNCIA INSULINA.TAMBÉM AUMENTA O RISCO DE INÍCIO NA IDADE ADULTA APRESENTAR OBESIDADE E DOENÇAS CARDIOVASCULARES.

Parece uma fofura um bebe com peso acima do padrão normal, apesar de termos consciência de que os padrões de medidas têm pequenas margens de erros, mas nunca se esqueça que é o principio de uma série de disfunções orgânicas e metabólicas que irão perdurar praticamente por toda a existência do bebê, incluíndo a fase adulta.  Para você acompanhar melhor, daremos a metodologia para poder estar vigilante com os riscos que evolutivamente irão acontecer caso você não tome providências, e use o bom senso o mais precoce possível, embora existam fatores genéticos e neonatais que interferem . Calculado o peso em (kg), dividido pela altura em (m2), o IMC, facilita você deduzir o tamanho do corpo de seu filho e em poder ser quantificado e confiável, desde que o ambiente técnico e cientifico tenham padrões de excelência profissional. Bolachas recheadas, salgadinhos industrializados e refrigerantes em geral são inimigos da boa alimentação, devido ao alto índice de gordura e de açúcar que esses produtos contêm são alimentos muito consumidos pelas crianças e que podem levar à síndrome metabólica e, no futuro a problemas cardiovasculares orienta o endocrinologista. A prática de atividade física na infância constitui-se um importante fator de proteção contra o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade infantil  (sobrepeso, obesidade, obesidade abdominal, intra-abdominal, intra-torácica, visceral, central, perda de peso, emagrecer, diabetes). A orientação e educação alimentar sãde extrema importância para a criança que pratica atividade física. Uma alimentação adequada garante que a quantidade de energia e nutrientes são suficientes para alcançar as necessidades de crescimento e manutenção de tecidos da criança e para o bom desempenho de suas atividades físicas e intelectuais.  
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra.Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM: 28930
Como Saber Mais:
1.Como controlar nosssas crianças com a alimentação adequada?
http://obesidadeinfantojuvenil2.bogspot.com
2.Obesidade é considerada uma epidemia mundial?
http://obesidadeinfantojuvenil2.bogspot.com
3.Porque as industrias alimentícias usam gordura trans nos alimentos sendo que é tão prejudicial á saúde?
http://drcaiojr.site.med.br/index.asp?PageName=Nutri-E7-E3o
Referência Bibliográfica:
1.Division de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo
Childrens Hospital Los Angeles, Los Angeles, Califórnia,
E.U.A.
2. Instituto de Investigação 2Saban, Los Angeles, Califórnia,
E.U.A.
3.Department de Pediatria da Faculdade de Medicina de Keck,
Universidade do Sul da Califórnia, Los Angeles,
California, E.U.A.
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Sites Importantes 
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
www.vanderhaagenbrazil.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em OBESIDADE